segunda-feira, 17 de fevereiro de 2014

Oito razões para os Portugueses investirem mais nos mercados financeiros

Os Portugueses são um dos povos do mundo com maior aversão ao risco e menor propensão para o investimento das suas poupanças nos mercados de capitais. Ainda hoje, em pleno século XXI, o investimento nos mercados é visto por muitos como um jogo de sorte ou azar, um mecanismo puramente aleatório. Os vossos familiares e amigos nunca perguntaram por que raio andam vocês metidos na bolsa, como se estivessem a referir-se a uma droga pesada? Eu ouço essa pergunta imensas vezes e por isso escrevi este post, onde reuni os motivos que me levam a entregar as minhas poupanças aos mercados financeiros.

1 - Os mercados geram em média um retorno muito superior ao que um depósito a prazo pode oferecer
Hoje em dia os depósitos a prazo oferecem uma taxa de juro vergonhosa, que não cobre sequer a inflação. Ter dinheiro num depósito é pouco diferente de o ter debaixo de um colchão ou dentro de um cofre. Os mercados financeiros oferecem rentabilidades facilmente superiores a 5% ao ano, realisticamente próximas de 8-9%. Quem não gosta de ganhar um pouco mais de dinheiro?

2 - É uma actividade intelectualmente estimulante
Analisar empresas, manter a actualização em relação ao que se passa no mundo financeiro é estimulante do ponto de vsta intelectual! Nunca olharam para trás e pensaram: "mas que raio se passa comigo? As novelas da TVI e os jogos da Liga Inglesa estão-me a fazer encolher o cérebro!". Os mercados financeiros representam um desafio intelectual semelhante ao xadrez, mas com regras muito mais simples e menos monótonas!


3 - É muito menos arriscado do que se possa pensar
Quando me falam em "apostar na bolsa" arrepio-me de cima a baixo... a bolsa não é um jogo, os mercados financeiros não são aleatórios. Têm regras bem definidas, são compostos por padrões de repetição, e é possível antever as suas movimentações com um grau de significativa exactidão. Aprendam a diversificar, não metam o dinheiro todo na mesma acção. Não metam sequer todo o dinheiro em acções, dividam-no por obrigações e até mesmo depósitos a prazo se isso vos fizer sentir mais confiantes! Se o dinheiro estiver bem dividido, por muito má que seja a tempestade não vamos ficar sem barco.

4 - É muito mais simples do que parece
É simples ganhar dinheiro nos mercados financeiro, nomeadamente através da compra de acções. Os mercados têm tendências bem definidas, que se repetem durante vários meses ou mesmo anos. Ou sobem desalmadamente, ou caem como se não houvesse amanhã. É do senso comum que no inverno chove e no verão faz sol! Se vos pedissem para adivinhar qual será o tempo para amanhã o que diriam? Tendo em conta que estamos em Fevereiro, e considerando que tem estado um tempo terrível, eu diria que vai chover! Se tem chovido nos últimos 30 dias, porque haveria amanhã de ser diferente? Ainda assim, há dias de sol no inverno e dias de chuva no verão! Mas um dia não marca uma tendência, só serve para confundir e dificultar um pouco o nosso julgamento. Com os mercados é exactamente a mesma coisa. Não se devem comprar dias de sol no inverno nem dias de chuva no verão. É tão simples como isso...
 
5 - Só é necessária meia hora disponível por semana 
Um dos maiores mitos associado aos mercados financeiros passa pela grande necessidade de tempo disponível. Sinceramente, basta meia hora por semana para ter bons resultados. Um acompanhamento demasiado próximo nem sequer é recomendado para quem não é profissional, faz-nos ficar nervosos, leva-nos a cometer erros. Olhar para os mercados apenas meia hora por semana permite-nos perceber se tudo está a correr conforme previsto sem aumentar a ansiedade em demasia. E se houver uma semana muito má? Não há problema, hoje em dia há formas automáticas de nos resguardarmos desse tipo de situações de forma a defendermos a base do nosso dinheiro.
Se tiverem um rendimento derivado do trabalho equivalente a 10 mil euros por ano, e se com os mercados ganharem 1000 euros por ano, essa meia hora por semana vai ser paga ao equivalente a 38,5€ à hora! Um belo complemento, quando comparado com os 5€ à hora que resultariam da actividade profissional.

6 - Estão a entregar o vosso dinheiro à pessoa em quem mais confiam
Um dos motivos por trás da minha dedicação aos mercados foi a desconfiança. Não confio em gestores de conta, sem desprimor para a classe. Há muitos profissionais de excelência, como em todas as áreas, mas também há pessoas que não sabem absolutamente nada do que dizem. Será que estão dispostos a entregar o vosso dinheiro a alguém que vos está a vender um produto e que nem sabe ao certo o que está a vender? Para mim isso não dá, obrigado...

7 - A aprendizagem é rápida
Desenganem-se os que pensam que é preciso ter um curso de economia ou gestão para ganhar dinheiro na bolsa. Como em qualquer actividade, é necessário aprender antes de partir para a prática! Se quiserem aprender a ser marinheiros, aprendam pelo menos a conduzir o barco. A aprendizagem nos mercados é realmente rápida, dada a simplificação crescente dos mecanismos e plataformas. Não é coisa que se aprenda num dia, mas uma semana é mais do que suficiente para aprenderem o básico e começarem a negociar devagarinho. Comprem um livro, façam um curso. Investimos tanto dinheiro numa licenciatura ou num curso profissional, porque não dar 15€ por um livro e dedicar um pouco de tempo a aprender mais sobre isto?

8 - Podem ser donos das maiores e melhores empresas do mundo
Já se imaginaram a poder contratar as mentes mais brilhantes do mundo, a ganharem dinheiro sempre que um homem se barbeia com uma lâmina Gillette em qualquer ponto do planeta? Já imaginaram como seria ir ao McDonalds comer um hamburguer e pensar: "Hmmm, uma parte de todo o dinheiro que esta gente está aqui a deixar vai entrar na minha conta daqui a 6 meses". Ou ir aos correios enviar uma carta e pensarem: "Eu tenho desconto nestes selos, o lucro que esta empresa está a gerar também vai ser dividido por mim!". Esta é a beleza da compra de acções, é ser dono das maiores e melhores empresas e lucrar com isso!

Estamos actualmente a viver o equivalente ao verão nos mercados financeiros, a altura certa para começar. À medida que o tempo passa, o risco de uma entrada em falso aumenta significativamente.

Partilhem estes motivos com os vossos amigos, façam-nos ver que há uma razão válida e inteligente para a vossa escolha. A resposta às perguntas que recebem dos vossos familiares e amigos deveria ser: "Mas porque é que TU ainda não investes na bolsa?"



14 comentários:

Sérgio Martins disse...

Só faltou aconselhar um bom livro.

Parabéns pelo blog.
Sérgio

Tiago esteves disse...

Obrigado Sérgio. Sugeriria o Ganhar em Bolsa, do Braga de Matos

JorgeNevada disse...

Bom artigo, realmente há um preconceito em relação a investir nos mercados em Portugal. Há uns tempos contava a um amigo que planeava começar a investir em ações e a reação dele foi de estranheza.. disse-me que nunca colocaria dinheiro em algo que não consegui-se "tocar", passo a expressão. Mas ao mesmo tempo levanta-se outra questão.. há sempre uma altura em que as pessoas realmente se começam a virar para a bolsa de uma forma mais generalizada, isso vê-se notoriamente nos volumes transaccionados em 2008, antes do início do forte bear market. Mais ainda, existe claramente a ideia de que é um mau sinal quando a generalidade das pessoas começam a investir na bolsa, é sinal de que as cotações já subiram demasiado, e será altura de vender.. o velho lema do taxista.

Falas em rentabilidades a rondar os 5% anuais para quem investe na bolsa.. este valor baseia-se em que?
Eu penso que a bolsa dá oportunidades de rentabilização bem superiores a 5% anuais.

Aguardo o teu comentário,

Cumprimentos

Tiago esteves disse...

Olá Jorge,
Esse é um exemplo interessante. Mas hoje em dia já não há muito dinheiro palpável, sustentamos toda a nossa vida num número que aparece num papel, dado pelo nosso banco.

Quando o dummy money entra nos mercados, representado pela generalidade das pessoas, o smart money aproveita para vender. Poderá ser, por exemplo, o que está a acontecer nos US. Em Portugal penso que ainda poderemos estar longe desse ponto, ainda não se fala muito sobre mercados nos meios de comunicação social. Quando a bolsa começar a abrir telejornais eu aperto imediatamente os meus stops!

A rentabilidade de 5% é um número por baixo, a rentabilidade de 9% é o objectivo que 95% das pessoas a negociar nos mercados financeiros deveria procurar alcançar. Não estamos a falar só do investimento em acções mas sim na globalidade do portfolio! Buscar objectivos de 20 ou 30% é irrealista no longo prazo e significa geralmente uma forte alavancagem ou uma forte exposição a activos muito voláteis.
Cumprimentos

EU SOU disse...

OLÁ TIAGO
GOSTARIA DE FELICITA-LO PELAS EXCELENTES ANÁLISES QUE FAZ. SOU UM FIEL LEITOR DELAS E FAÇO USO.
QUERO TENTAR SER UM DAY TRADER, AINDA QUE EXIGE UM GRANDE AUTO-CONTROLE.
TENHO FEITO ENTRADAS E SAIDA COM GANHOS ENTRE OS 2% A 3% MAS NÃO GOSTO DE DORMIR COM AS ACÇÕES......
GOSTARIA NO ENTANTO DE SABER FAZER ANÁLISE IGUAL AO TIAGO.
bEM HAJA

FilipeBS disse...

Mais um excelente artigo. Gostei particularmente do ponto 2 :) O estímulo mental que os investimentos proporcionam é os dos meus atractivos favoritos.
Quanto ao ponto 5, só se for para quem está metido em fundos e numa estratégia quase de comprar e guardar. Claro que falo por mim, que gosto de acompanhar uma vez por dia - estou a tentar seguir o teu conselho de prestar menor atenção ao intra-day, e isso tem-se revelado positivo para o meu equilibrio mental :D
Já agora sugiro um tema para um futuro post: os índices norte-americanos a bater máximos da anterior bolha especulativa de 2007. Estamos na iminência de um novo crash? Que precauções deve ter o investidor nacional num quadro de potencial crash nos EUA a qualquer momemento? A que indicadores (no sentido lato) devemos estar atentos?
Já agora, o que pensas das previsões do Peter Schiff.
Abraço,
Filipe

Tiago esteves disse...

Obrigado Filipe. Respondendo à questão em concreto, é difícil prever o comportamento do PSI quando houver um crash nos US. É provável que venhamos por arrasto atrás, daí ser fundamental manter a atenção. Para um trend follower não faz a mínima diferença que o SP esteja a crescer em modo bolha. Desde que feches as posições quando o índice mostrar sinais de inversão, tudo bem! Um dia destes expando-me nessa questão.
Peter Schiff? Não sigo, só agora fui dar uma vista de olhos ao que ele diz. Parece-me que tem alguns pontos de coerência, outros de exagero. Não serei a melhor pessoa para comentar as opiniões dele porque não as costumo seguir.
Abraço

Anónimo disse...

Oito perspectivas interessantes, para quem visa intervir neste mercado verdadeiramente fascinante...
Bons investimentos,
Pedro Ramalho

Pedro Soares Lourenço disse...

Belo post..., "linkei" lá na minha tasca... :) bons negócios.

joão torresini disse...

Muito bom o post e as razões! abraços

Hugo O'Neill disse...

Infelizmente os investimentos em bolsa ainda estão conotados como um jogo de casino.

Muito bom o artigo, pode ser que se vislumbre uma mudança positiva na mentalidade dos portugueses.

Jota007 disse...

Olá Tiago.
Muitos parabéns pelo artigo, está 5 estrelas!
Concordo inteiramente com a primeira frase que escreveu.

Cumprimentos

Anónimo disse...

Sr. Tiago,

Permita-me que lhe coloque a seguinte questão:

- Como é possível que os bancos, nomeadamente o BCP e os BES apresentem prejuízos anuais de centenas de milhões de euros, mas mesmo assim continuem a ter fortes valorizações?

No caso do BPI até se justifica as valorizações porque apresentou lucros, agora o BCP e o BES!...



Cumprimentos
Fernando Santos

Tiago esteves disse...

Obrigado pelo reconhecimento, Pedro.

Fernando,
É sobretudo a expectativa de lucro futuro que está a puxar pela cotação. Os investidores acreditam que o pior já terá passado para a banca